Touring Cultural e Paisagístico

O património cultural encontra no Porto e Norte de Portugal a sua maior profusão. Sabia que temos 4 patrimónios culturais classificados pela UNESCO e que é neste destino que se encontra o maior número de monumentos classificados em Portugal? 

Também a paisagem possui atributos únicos e de elevada diversidade que se conjugam na sua costa atlântica, nas serranias, nos planaltos transmontanos, nas vinhas, nos miradouros que aliados a uma rede viária de elevada qualidade, propiciam uma experiência imersiva de elevada intensidade. Sabia que o Fórum Económico Mundial classificou a qualidade das estradas de Portugal como muito boas, tendo atribuído 6.34 pontos num total de 7 pontos possíveis? As nossas estradas vão ajudá-lo a descobrir a região.

O destino Porto e Norte de Portugal possui paisagens únicas e especiais. Não somos nós que o afirmamos. A National Geographic Society classificou o Douro como o 7.º destino mundial mais icónico num ranking internacional que avaliou mais de 133 sítios destinos. A cidade do Porto foi eleita o "Melhor Destino Europeu” pela European Consumers Choice e destacada pelo New York Times como um destino a visitar.

Mas há mais… muito mais! Toda a região está repleta de elementos de importância cultural e simbólica. O folclore, os Caretos de Podence, as máscaras de Lazarim, os Cabeçudos no Minho, os Pauliteiros de Miranda, as Feiras Novas de Ponte de Lima com as concertinas e cortejos etnográficos e as celebrações pagãs da Noite das Bruxas – Sexta feira 13, em Montalegre, que expurgam o mau olhado são elementos de um grafismo poderoso que distinguem o Porto e Norte de Portugal de qualquer outro. Mas o Porto e Norte de Portugal também se diferencia do resto do país pela segunda língua oficial portuguesa, o mirandês!

Não se esqueça de incluir no seu tour cultural os nossos (seus) festivais de música. Foi nesta região que se realizou o primeiro festival de música ao ar livre em Portugal, em 1965, o Festival de Vilar de Mouros. Mas há ainda o Paredes de Coura que ocorre num dos sítios mais improváveis do interior, mas de elevada beleza, o anfiteatro natural da praia fluvial de Taboão; o Milhões de Festa que ocorre perto de Barcelos; e o Primavera Sound no Porto. Têm tido ao longo da sua existência cartazes invejáveis e trazido artistas de renome como Amália Rodrigues, José Afonso, Carlos Paredes, Rui Veloso, Jorge Palma, GNR, Elton John, Manfred Mann, Alanis Morissette, Robert Plant, Stone Temple Pilots entre muitos outros.

Ainda na vertente dos espetáculos não perca o festival MIMO que começou em Olinda, no Brasil e está agora em S. Paulo e Rio de Janeiro. É um festival brasileiro que se liga a Portugal através do Norte e da cidade de Amarante. Por aqui passam importantes artistas musicais como Pat Metheny, Pedro Burmester ou Mário Laginha.

Também há música clássica na região. A Orquestra do Norte, sedeada em Amarante, é um orgulho para o Porto e Norte de Portugal. Alguns dos mais destacados solistas vocais e instrumentais portugueses e estrangeiros atuaram nos concertos da Orquestra do Norte destacando-se António Rosado, Eva Maria Zuk, Avri Levitan, Patricia Kopatchinskaja, Kirill Troussov, Michel Lethiec, Robert Kabara, Placido Domingo, José Carreras, Ileana Cotrubas, Julia Hamari, Fiorenza Cossoto e Svetla Vassileva.

Não se esqueça da nossa rede de teatros que ostenta uma programação fabulosa e uma arquitetura interessantíssima, citando como exemplos o Theatro Circo inaugurado em 1915, em Braga, o Teatro Ribeiro Conceição, de fachada setecentista original, em Lamego e o Teatro de S. João no Porto com origem no séc. XVIII. Destacamos a programação do Teatro de Vila Real e em particular a qualidade do Festival Internacional Douro Jazz.

Fazendo a ponte com a arquitetura no Norte de Portugal, destacamos a Casa da Música, que para além de um importante palco de concertos dos mais variadíssimos tipos, desde a música ligeira, ao jazz, à música clássica é uma obra de arquitetura fabulosa de um prestigiado arquiteto holandês, Rem Koulhaas. Mas o Porto e Norte de Portugal tem vindo a dever a sua internacionalização também ao contributo da Faculdade de Arquitetura do Porto que deu à região, ao país e ao mundo dois dos arquitetos mais criativos e influentes – Álvaro Siza Vieira e Souto Moura, ambos laureados com o prémio Pritzker.

A arte e a pintura têm também no Norte importantes vultos. Destacamos Amadeo de Souza-Cardoso em Amarante, cuja pintura conjuga o cubismo, o futurismo ou o expressionismo podendo ser admirado no Museu de Amarante. Também Graça Morais tem origem na região Norte, em Vila Flor. A sua pintura pode ser admirada no Centro de Arte Contemporânea em Bragança. Não esquecer Nadir Afonso, arquiteto oriundo de Chaves, que trabalhou com Le Corbusier e Oscar Niemeyer e que se destacou também na pintura, podendo admirar-se algumas das suas obras mais fascinantes no Museu de Arte Contemporânea Nadir Afonso, espaço da autoria de Álvaro Siza Vieira em Chaves e no Centro de Artes Nadir Afonso em Boticas.

Ainda na pintura, o Porto e Norte de Portugal pode orgulhar-se de possuir 85 obras da autoria do pintor catalão Joan Miró em permanência no Porto, no Museu de Arte Contemporânea de Serralves. O espólio conta com a obra do autor do ano de 1924 até 1981, formando com a Fundação Joan Miró, em Barcelona, e a Fundação Pilar e Joan Miró, em Palma de Maiorca, "um triângulo cultural na Península Ibérica” de valor inestimável (Robert Lubar, 2016).

Ainda nas artes destacamos importantes acontecimentos que não pode perder como a Bienal de Cerveira, uma exposição de arte que ocorre em Vila Nova de Cerveira e que data já de 1978. Nas artes há a destacar a vibrante arte urbana. Sabia que na rua da Lionesa, em Leça do Balio, na zona do Porto, existe um mural com 1400m2, pintado por 10 dos mais conceituados artistas urbanos em Portugal.

O seu tour cultural não pode deixar de lado o Museu Nacional Soares dos Reis, um museu de belas artes, artes decorativas e arqueologia fundado em 1833 e o Museu de Arte Contemporânea de Serralves, cujo edifício foi desenhado por Álvaro Siza Vieira. Também a literatura encontra na região fontes de inspiração e verdadeiros guias. Salientamos Camilo Castelo Branco, um dos autores portugueses mais prolíficos, que embora nascido em Lisboa, passou a sua vida no Norte de Portugal tendo criado obras românticas notáveis, entre elas, o "Amor de Perdição”, adaptada ao cinema em distintas ocasiões; Eça de Queiroz, nascido na Póvoa do Varzim e considerado um dos romancistas portugueses mais importantes do séc. XIX; Aquilino Ribeiro, considerado por muitos "o maior prosador do século XX” (Direção Regional de Cultura do Norte) que imortalizou com o seu romance "A Casa Grande de Romarigães”, em Paredes de Coura; Ferreira de Castro que fruto da sua experiência de emigração para o Brasil escreveu a obra emblemática "Emigrantes”; Graça Pina de Morais autor de "A Origem”, em 1958, sob o pseudónimo de Bárbara Gomes; o poeta Guerra Junqueiro que Eça de Queiroz qualificou como "o maior poeta moderno da Península”; José Régio, oriundo de Vila do Conde; Lisa Pina de Morais, nascida no Porto; Miguel Torga, nascido em Sabrosa. (D)escreveu (e percorreu) de forma abundante (sobre) o Douro; João Pina de Morais, nascido em Lamego e consagrado na literatura com um dos livros mais populares de memórias bélicas, "Ao Parapeito” de 1919; e não esquecer Agustina Bessa-Luís, nascida em Amarante e autora do romance "A Sibila”, escrito em 1954.

Na vertente patrimonial há ainda a sugerir a Rota do Românico que se âncora em 58 monumentos de elevado valor. Destaque, ainda, para a Rota da Terra Fria do Nordeste Transmontano que oferece apelativas escapadinhas para descobrir essa região.

Há motivos de sobra para se demorar na região!


Itinerário:

  • Onde Ficar?
  • Onde Comer?
  • O que fazer?